quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Das crises e do amor maior

Desde Segunda que Francisco está numa chatice sem tamanho. Sejamos justos, não sei foi consequência do remédios que tomei ou se ele está passando pelas terríveis cólicas do 2º mês (alguém mais aí teve isso?), a verdade é que ele está com muita dorzinha de barriga e isso se reflete no temperamento dele, tadinho. Ele passa uma boa parte do dia chorando, só querendo colo e testando nossa paciência.
Pra dormir a coisa também está complicada. Tanto nas sonecas de dia quanto para dormir a noite Francisco está dando um escândalo. Não há peito, balançar reza brava que o acalme, só depois de muito insistir é que ele finalmente se acalma e vai para o peito, daí dorme.
Ontem foi um dia extremamente difícil. Fiquei sozinha com ele e o pequeno não parava de chorar, eu precisava ficar balançando-o e andando pela casa, mas se parava por um segundo, o choro recomeçava. Confesso que chorei, liguei para o marido xingando, pensei seriamente que não prestava pra isso de ser mãe, cansei, cansei, cansei.
.
.
.
.
.
Mas, a verdade é que Francisco precisa de mim. E eu o amo mais que tudo.
.
.
.
.
.
Sou a rainha da impaciência, sabia que nesse quesito não seria fácil ser uma boa mãe para o pequeno, mas a verdade é que os filhos nos fazem querer melhorar a cada dia. respirei fundo e aceitei que é uma fase do meu pequeno e vai passar.
Além do mais, nos momentos que Francisco não está dando show, ele é o bebê mais lindo, fofo, sorridente e conversador do mundo e eu me derreto com o filho inteligente e maravilhoso que tenho.
Não quero que esse seja um post meloso (porque sou tudo menos melosa marido que o diga), mas senti vontade de deixar aqui, registrado o quanto amo meu filho, assim, do jeitinho que ele é. Chorão, mas fofo e sorridente ("Meu filho, bipolar").
Ontem, quando me dei conta disso, um amor tão grande me invadiu que me sinto capaz de tudo, de aguentar os choros, as manhas, e todo o pacote que vem junto, sei que no final ele dará um sorriso banguela e tudo ficará bem outra vez.
Ser mãe me fez ser uma pessoa melhor. E eu agradeço Francisco por isso.

Pra comprovar que não é só babação de mãe, olha o vídeo da conversa dele com o papai e fala se não é a coisa mais linda? =D



Um comentário:

Talita disse...

Querida não se preocupe não, é fase, salto de desenvolvimento...Vai ter 1 por mês até quase 2 anos, então paciência! A Aimée teve um dos piores com 3 meses e depois com 7 e meio. Mas sempre depois que passa a tempestade a bonança vem com alguma nova peripécia dos pequenos!