quarta-feira, 13 de julho de 2011

O parto - final

Na maternidade

Fui para a maternidade já sentindo dores fortes e quando colocaram o soro, meu deus do céu, que dor! As contrações ficaram muito piores! Eu só queria a banheira (que obsessão era essa com as banheira?), entrei nela e lá fiquei. Toda vez que vinha uma contração o marido fazia massagem e minha mãe jogava água quente nas minhas costas. O tempo foi passando e como, apesar de muito doloridas, as contrações não progrediam (ainda estavam de 4 em 4 minutos e a duração de casa uma era de uns 30 segundos, muito pouco), as enfermeiras ia aumentando o soro e com ele as dores aumentavam cada vez mais. No tempo entre as contrações eu só pensava em dormir, só pensava que não aguentava mais. Olha, dói, dói muito, mas o que me pegou mesmo foi o cansaço físico, eu não conseguia ficar de pé, quem diria, fazer força para meu filho sair!
Nisso comecei a pedir a tal da dolantina meu obstetra tinha deixado prescrita para dor. Na minha ingenuidade pensei que fosse um relaxante muscular, só que mais forte, só depois do parto é que fui pesquisar na internet e vi que é uma analgesia (se bem que até agora não entendi direito o que é), juro que estive o trabalho de parto inteiro focada que não queria nada de anestesia e se soubesse exatamente o que era não teria pedido/aceitado tomar, mas pergunta se na hora, eu escutei quando alguém tentou me explicar, eu tava pra lá de Bagdá e só pensava que não era anestesia e eu PRECISAVA DORMIR! Me fizeram outro exame de toque e eu estava com 6 dedos, ou seja ainda tinha chão pela frente.
Enfim tomei o bagulho remédio e minhas contrações continuaram forte, mas espaçaram mais ainda, agora estava de 10 em 10 minutos de novo, o que foi ruim pois o trabalho de parto ia demorar mais ainda, mas foi bom pois consegui dormir entre elas e assim recuperar um pouco das minhas forças para a grande hora.
Depois que descansei um pouco, as dores aumentaram de vez e eu fiquei louca. Já não sabia de mais nada, só queria que aquilo acabasse. Repetia sem parar que não aguentava mais, que não queria mais e gritava, mas gritava com todo meu pulmão que a Maternidade inteira deve ter achado que estavam me matando.
Nisso a doula me disse: Alice, você quer que acabe logo? Então tem de fazer tudo que eu falar, se fizer isso ele nasce em meia hora!
Ela amarrou um lençol na porta e me pediu que toda vez que eu tivesse uma contração puxasse o lençol e fizesse muita força. Lá fui eu, de novo, puxar o lençol.
Fiquei nessa não sei quanto tempo (só sei que não foi meia hora) e sentia que cada vez Francisco descia mais. Até a hora que senti a cabeça dele me perto de sair (nem andar dava mais), me sentei na banqueta do parto de cócoras e continuei com as forças.
Só tinha um problema, minhas contrações continuavam de 10 em 10 minutos, na parte do expulsivo do trabalho de parto, as contrações vem uma atrás da outra, são elas que empurram o bebê para fora e como as minhas estava ainda muito espaçadas, ou eu esperava até não sei quando ou me virava para essa criança nascer, e foi o que eu fiz. Pensei, "vai ter de nascer no muque mesmo" e comecei a fazer força toda hora, não esperava mais a contração para isso.
O obstetra e a pediatra chegaram, eu sabia que estava perto. Ele sentou-se no chão, em frente a mim e meu marido me abraçou por trás. Segurei meus joelhos e comecei a fazer uma força atrás da outra. Sentia a cabeça do Francisco indo e vindo dentro de mim e senti que tinha de tirá-lo dalí. Fiz a maior força da minha vida e senti sua cabecinha saindo. Quando ela saiu, pensei "não tem como esperar outra contração pra sair o resto, vai ter de ser agora" e continuei com a força. Senti seus ombros e seu corpinho saindo de dentro de mim e tenho uma observação a fazer, essa parte é a que menos dói, eu não senti o circulo de fogo, só senti uma satisfação imensa de finalmente ter conseguido.
Quando ele saiu, foi colocado no meu colo e toda a dor, todo o cansaço passaram. Olhei para ele e disse que ele era lindo e não me preocupei com mais nada. Não vi o cordão umbilical ser cortado, não vi mais nada, só olhava para o meu menininho lá, tão lindo. Ele não chorou, nasceu meio engasgado e a pediatra o levou para examinar, sua nota de APGAR foi 6/10.
Enquanto Francisco era examinado, me levaram para a cama para ser examinada também, o obstetra ajudou a retirar minha placenta (que nem vi também, ainda estava muito louca e nem liguei pra ela) e me deu 3 pontos de uma laceração que eu tinha tido (estranho seria se não tivesse, visto a força sobre humana que fiz).
Depois disso, Francisco voltou aos meus braços e o coloquei para mamar. Fui para o quarto, o coloquei no bercinho e fui tomar um banho que estava toda nojenta suja de sangue. Me troquei e ficamos lá olhando aquela coisinha pequena, sem nem acreditar que saiu de dentro de mim.

Bom, agora as considerações sobre o meu parto:

- Acho sim que minha ansiedade atrapalhou e muito a progressão do trabalho de parto, se não estivesse são ansiosa talvez fosse mais rápido.
- A presença do meu marido, da minha mãe e da doula foram essenciais para eu ter conseguido parir, sem eles, sem a força deles eu não sei se teria ido até o fim.
- No fim, consegui meu intento (pelo menos gosto de pensar que sim), que era tentar fazer essa mudança de "mundos" do Francisco com o mínimo de intervenções para ele. Meu filho não tomou a vacina K (Kanakion) por injeção e sim por via oral, não foi pingado o colírio de Nitrato de Prata em seus olhos, ele só foi medido no dia seguinte quando tomou o primeiro banho, foi colocado em meu colo logo que nasceu e também foi amamentado nessa mesma hora.

No fim disso tudo, lembro sempre das palavras da minha doula antes dele nascer, ela sempre dizia que: "Quando a dificuldade é grande, é que o presente é maior ainda" e é verdade, meu parto não foi do jeito que sonhei, mas foi do jeito que deveria ser para eu ganhar o maior presente. (brega mais verdadeiro)

Segue um vídeo com fotos do parto e do rebento. =D

4 comentários:

Adriana ,Sofya e Emanuelle disse...

lindo lindo lindo! todo relato de parto é lindo!

meu primeiro parto também não saiu como eu idealizei, apesar de ter sido natural... Já o segundo foi um lindo domiciliar quase perfeito...Vamos ver os próximos...kkkk

Lembro da sensação de sentir Manu subi e descer pelo canal, eu adorei essa sensação!! e como vc disse, a hora de sair é a que menos dói né!

parabens pelo bebê, ela é lindo, lindo lindo! Te desejo muitooo leite e paciência viu!

bjs

Pri disse...

Oiii! Adorei seu relato!
Não vejo a hora de poder colocar o meu também!! rsrsrsrs
Já virei sua seguidora tá! : ))
E tb coloquei seu blog no meu!! Aí vamos trocando figurinhas! :)
Beijos

Roberta e Leonardo disse...

Nossa, que lindo!!!!!

Adorei!!! Parabéns!

Seu bb é lindo!!!!!!!!

Muitas felicidades para vcs!!!!

Beijos!!!! :)

♥ Aline ♥ disse...

Que lindo amei!! Até chorei! Parabéns é lindo seu filho!